10 Passos para não cair na malha fina do IR 2016

O Imposto de Renda(IR) é uma das maiores formas de arrecadação do Governo Federal para ações sociais e obras. Anual, o formulário deve ser preenchido por pessoas físicas e jurídicas todos os anos. Ao contribuinte é preciso tratar a ação com um enorme cuidado para evitar cair na malha fina.77

10 Passos para não cair na malha fina do IR 2016

A conhecida como ‘malha fina’ da Receita Federal é uma avaliação mais criteriosa da declaração do IR. O processo é eletrônico e o envio é rápido. Seu formulário chega ao computador da receita e o cruzamento de dados acontece.

37

Quando há divergência entre o que você declarou e outro empresa sobre o mesmo gasto, cairá na malha fina. O que fazer para isso não acontecer? Apenas seguir 10 passos simples ajudam, como:

1 – Observe a precisão dos valores

Não arredonde nenhum dado. Todos os valores devem ser conforme os gastos, com seus devidos centavos. Imagine você declarando R$ 310 de plano de saúde mensal e o plano recebendo seus gastos de R$ 308,90. Haverá incompatibilidade de dados.

2 – Declare apenas despesas que podem ser comprovadas

Em outras palavras: se não há nota fiscal não tem comprovação, então não vale como gastos no ano anterior.

3 – Escreva corretamente o nome das empresas

Não é uma pessoa lendo do outro lado formulário por formulário mas um computador. Ele procura pelo nome jurídico, CNPJ e nome fantasia. Preencher tais dados de forma incorreta deixa o formulário do IR inconsistente e cai na malha fina.

4 – Informe todas as fontes de rendimento

Se há uma fonte pagadora, mesmo com valor pequeno, deve estar no IR. Também entram notas de serviços avulsas, pró-labore, salários e aluguéis de imóveis de todos os tipos. Para melhor ajuda sobre isso, consulte a tabela com alíquotas.

5 – Informe os rendimentos dos dependentes

E não apenas os gastos. É um dos erros mais comuns mas eles entram na conta também.

6 – Uma pessoa deve ser dependente apenas de um contribuinte

O dependente não pode estar em dois impostos de renda. Filhos de pais separados, por exemplo, devem ficar com um dos pais (normalmente o de mais gastos). O mesmo vale para qualquer tipo de dependente da renda do contribuinte.

7 – Despesas médicas apenas se tiverem recibos

Remédios controlados e gastos com médicos apenas se tiverem recibo de pagamento. A clínica ou laboratório também deve declarar o ganho de igual forma para o devido cruzamento de dados. Caso apenas quem pagou declare será considerado burlar o imposto.

8 – Gastos fora da lista de deduções não precisam ser declarados

Não são necessários cursos de idiomas, tratamentos estéticos e qualquer gastos médicos com pessoas que não são seus dependentes.

9 – Aplicações financeiras entram na lista

Os bancos também declaram IR e informam todos os seus contribuintes e investidores. Suas aplicações estão na lista da Receita pelo banco e precisam estar por sua própria declaração também.

10 – Todos os bens devem ser declarados.

Doados ou ganhos em premiações, qualquer tipo de bem deve ser declarado com o valor do documento. Não é preciso atualizar o valor se não estiver no documento de propriedade da casa, por exemplo.

O que acontece se cair na malha fina?

Não é preciso temer cair na malha fina também. Caso aconteça haverá uma suspensão da declaração de Imposto de Renda daquele ano e um pedido de comprovação de documentação indo a sede da Receita Federal de sua cidade e reenviando o formulário. Há um prazo para isso. A restituição atrasará um pouco naquele ano mas vai acontecer.

malha-fina