Como consultar o extrato do INSS?

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é o órgão responsável pelo pagamento de diversos benefícios aos trabalhadores. Ao consultar seu extrato do INSS, você pode verificar o histórico dos benefícios pagos com valores e data de pagamento. O procedimento é muito simples e hoje você aprenderá a fazer essa consulta.

Por meio do site da Previdência Social ou do INSS DATAPREV, você pode fazer a consulta com apenas alguns cliques.

No momento, pela Internet, só é possível consultar o último extrato disponível. Caso você precise consultar o extrato de períodos anteriores, precisará procurar uma agência da Previdência Social para fazer a consulta pessoalmente.

Principais benefícios pagos pelo INSS

Antes de aprender a consultar seu extrato do INSS, veja quais são os principais benefícios pagos pelo órgão:

  • Aposentadoria por tempo de contribuição
  • Aposentadoria por idade
  • Aposentadoria por invalidez
  • Aposentadoria especial
  • Auxílio-acidente
  • Auxílio-doença
  • Auxílio-doença acidentário
  • Pensão por morte
  • Salário-maternidade

Se você recebe qualquer um desses benefícios, poderá consultar seu último extrato disponível pela Internet seguindo os passos que indicaremos a seguir.

O extrato emitido pela Internet mostra informações do valor bruto (sem descontos) e também do valor líquido (com descontos, se houver) a ser recebido.

Aprenda a consultar seu extrato de pagamento de benefícios do INSS

Um novo portal foi criado pelo INSS para facilitar a consulta de extratos de pagamento: o “Meu INSS”. Veja como é simples conferir seu extrato!

Passo 1

Acesse o site MEU INSS

Passo 2

Clique em “Histórico de Crédito de Benefício” e clique em “Fazer Login” na página que carregar.

Passo 3

Na tela que se abrir, clique no botão “Cadastrar”.

Passo 4

Preencha todos os campos com os seus dados. Depois disso, o sistema irá gerar uma senha provisória para você. Anote-a.

Passo 5

Faça login com a senha provisória clicando novamente no botão “Fazer Login”.

Passo 6

Uma mensagem será exibida dizendo que você está usando uma senha provisória e será necessário criar sua própria senha. Pense em algo que as pessoas não conseguirão adivinhar com facilidade, mas que seja fácil para você memorizar.

Passo 7

Agora que você já tem seu login e senha, é só clicar em “Histórico de Crédito de Benefício” e verificar seu extrato.

Existem outras formas de consultar o extrato do INSS?

Caso você não tenha um computador com acesso à Internet, pode ir pessoalmente até uma agência da Previdência Social para fazer sua consulta.

Além disso, você também consultar o extrato no banco onde recebe o benefício. O serviço é disponibilizado nos caixas eletrônicos e para fazer a consulta basta utilizar o cartão e a senha que já são utilizados por você para receber o benefício.

Como dissemos, pela Internet só é possível consultar o extrato do último mês. Como esse é um documento importante que comprova os seus recebimentos, uma boa ideia é emitir o extrato todos os meses, imprimi-lo e guarda-lo em um local seguro. Assim, você terá uma garantia e poderá montar seu histórico de pagamentos através desses extratos oficiais.

Qual a diferença entre PRONATEC e SISUTEC?

As siglas são parecidas mas Pronatec e Sisutec são bem diferentes. Um dos pontos em comum é que ambos auxiliam o interessado a chegar em um curso e se tornar um profissional qualificado no mercado. Conheça cada um e quais seus diferenciais.

O que é Pronatec?

Pronatec é a sigla para Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. É o programa do Governo Federal para ofertar cursos técnicos gratuitos para a população de baixa renda, desempregada e sem formação profissional.

Em diversas cidades brasileiras são ofertadas vagas de cursos de curta duração com formação técnica. São aulas essencialmente práticas, com material didático gratuito também. O aluno não paga. A proposta do ministério da Educação é diminuir o índice de desemprego.

Os cursos podem ser de três tipos:

  • Concomitante – para estudantes do ensino médio cursarem os dois tipos de ensino e já entrarem no mercado de trabalho formado;
  • Subsequentes – para quem já concluiu ensino médio;
  • Profissionalizantes – para adultos desempregados.

Para se matricular no Pronatec é necessário procurar uma das sedes da instituição de cada cidade e realizar a matrícula. Ao longo do ano são ofertadas vagas em diversos cursos. Eles podem ser realizados em escolas públicas nas cidades brasileiras, do Senac, do Senai MG 2018 e outras unidades da mesma instituição e nos institutos federais.

O que é Sisutec?

Enquanto o Pronatec oferta os cursos, o Sisutec permite que o aluno tenha acesso a eles. O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica é a plataforma criada pelo Ministério da Educação e Governo Federal para matricular estudantes nos cursos de ensino superior e técnico.

O funcionamento é fácil de entender. Anteriormente o estudante necessitava se deslocar até a unidade de ensino para fazer a matrícula, em um processo manual e passível de erros. Hoje ele utilizar a plataforma do Sisutec para a matrícula, acompanhar a sua classificação e saber se foi aprovado. 

O passo a passo do Sisutec é:

  • O estudante faz a prova do Enem e se cadastra no site oficial
  • O aluno faz a matrícula no começo do ano;
  • Concorre a duas seleções: a inicial e no segundo semestre;
  • Pode se matricular no fim do ano para um novo processo seletivo se não for selecionado neste ano.

Sisutec e Pronatec ajudam estudantes de baixa renda

Os programas do Governo Federal voltados para a educação possuem um propósito máximo: diminuir as disparidades sociais quando se trata de estudos no Brasil. Quem não pode pagar por seus estudos costumeiramente finalizada o período de sala de aula no ensino médio. Agora pode seguir adiante com certificação e diploma.

Enquanto o Pronatec auxilia com vagas em cursos gratuitos, o Sisutec ajuda na matrícula unificada permitindo igualdade até mesmo entre os estudantes do ensino público. Ele pode concorrer a uma vaga em outra cidade e realizar a inscrição na sua, fazendo a mudança apenas se for aprovado na plataforma.

Só podem ter acesso a tais benefícios quem realmente precisa, comprovando com documentação ter uma renda familiar abaixo de dois salários mínimos. Para os cursos do Pronatec de concluintes do ensino médio é necessário ser estudante de escola pública ou bolsista.

Senac abre espaço para mais de 3 mil vagas em cursos técnicos

Auxiliando ainda mais na formação profissional de jovens e adultos, o Senac está ofertando mais de 3 mil vagas em cursos técnicos. São mais de 50 cursos das mais diversas áreas oferecendo vagas para os interessados em ter certificação profissional com curta, média e longa duração.

senac-1

Cursos técnicos do Senac profissionalizantes

Os cursos do Senac possuem sempre como foco qualificação de mão de obra. São temáticas voltadas ao mercado de trabalho diretamente de setores com ampla oferta de vagas. Um dos mais procurados é o de recepção e segurança de portarias, podendo o profissional atuar em condomínios, edifícios comerciais, empresas, hotéis e semelhantes.

senac-2

Um dos destaques são os cursos técnicos voltados para a área estética. O setor é um dos mais aquecidos mesmo em tempos de crise financeira e a formação em nível superior não existe. Os diploma de técnico já garante a atuação no mercado e bons salários. Os mais procurados são: cabeleireiro, unhas em gel, design de sobrancelha, penteados, maquiagem, dentre outros.

O setor de gastronomia também possui forte concorrência. Os cursos para o setor são desde de gastrônomo para atuar como chefe de cozinha até confeiteiro e doceiro.

Senac aumenta as chances de emprego com parceiros

Durante as aulas os estudantes recebem conhecimentos teóricos e práticos sobre o tema. Há uniforme quando necessário e material didático. Todo o material usado nas oficinas está incluído no valor pago da mensalidade.

senac-3

Ao final do curso o aluno pode procurar vagas onde desejar, mas o Senac RN 2017 possui muitos parceiros sempre em busca de talentos. Muitos buscam indicações em salas de aula e aumentam ainda mais as chances de primeiro emprego ou recolocação profissional no mercado.

Os professores dos cursos também são profissionais do mercado reconhecidos e fazem suas indicações pessoais. E como o certificado é reconhecido, a veracidade da capacidade do aluno não é contestada.

Preços dos cursos do Senac

Esta nova leva de cursos tem como diferencial as mensalidades com um enorme desconto. O senac está visando a oferta de mão de obra capacitada para o mercado de trabalho de quem não possui condições de pagar caro. Logos, os preços são bem variáveis mas muitos bem em conta. Curso de unhas decoradas, por exemplo, custa R$ 143 (completo.

Os valores vão de R$ 112 a mais de R$ 1 mil. Cursos com diploma técnico possuem custo elevado mas uma maior duração. Já os curtinhos, de apenas alguns dias ou semanas, saem bem mais em conta e com reconhecimento no mercado. Todos os cursos do Senac emitem certificado reconhecido pelo Ministério da Educação na conclusão.

Como se inscrever em um curso do Senac

Interessados em estudar no Senac devem entrar em contato com a unidade mais próxima de sua residência. Os cursos podem variar entre as unidades na temática: o que é ofertado em São Paulo pode não ter em Recife. Logo, vale uma consulta em sua cidade.

A inscrição é feita pessoalmente em uma unidade do Senac. É preciso ter em mãos identidade, CPF, comprovante de residência e pagar a taxa de matrícula (com material didático incluso). Após a compensação do pagamento a matrícula já está confirmada.

Carros que pagam os mais altos IPVA do Brasil

O pagamento do IPVA para quem possui veículo é obrigatório no Brasil. O imposto é a verba arrecadada pelo Governo Federal para financiar obras em vias públicas. O seu cálculo é sobre o valor venal do veículo, um cálculo feito pelo governo apenas para tributos. Alguns veículos possuem IPVA tão absurdo que até assusta!

carros-que-pagam-os-mais-altos-ipva-do-brasil-3

O pagamento do IPVA anual

A taxa de IPVA existe para o governo arrecadar verbas para as suas obras. Todos os anos os proprietários de veículos auto motores recebem no primeiro trimestre o boleto de pagamento do IPVA. Pagamento único possui 5% de desconto e atrasar gera multas e em encargos.

Boa notícia ou não, o valor do IPVA varia por Estado. As taxas mais altas brasileiras estão em São Paulo e Bahia e as mais baixas na região norte e nordeste.

Dá para saber quanto você vai pagar de IPVA?

A taxa a ser paga de IPVA leva em conta alguns fatores como modelo do veículo, seu ano de fabricação (e não o ano que foi comprado) e o valor de venda. A tabela usada para saber o preço se chama valor venal e não é usada para vendas de verdade, apenas cálculo de impostos.

carros-que-pagam-os-mais-altos-ipva-do-brasil-2

O cálculo do IPVA usa como base o valor venal do veículo multiplicando por sua alíquota, que vai de 1 a 4%. O cálculo é feito da seguinte forma:

  • Encontre o valor venal do veículo na tabela do Governo clicando aqui;
  • Consulte o percentual de alíquota do mesmo veículo;
  • Faça a multiplicação do valor venal pela alíquota.

Uma moto custando R$ 10 mil na tabela venal e com alíquota de 2% terá o cálculo de R$ 10.000 x 0,02. Total do IPVA: R$ 200

A alíquota usada também varia de acordo com o veículo e está nos valores de 4% para veículos que usam como combustível a gasolina e cabines duplas, 3% para os que usam álcool, 2% para motos e similares. Os donos de caminhões possuem uma taxa de 1,5%.

Quais os carros que pagam o IPVA mais alto do Brasil?

Baseando-se no que explicamos acima você já consegue entender que quanto mais caro o veículo mais caro o valor do IPVA. Logo, os proprietários de carros de luxo no Brasil são os que mais contribuem com o IPVA MG 2017. Mas há uma lógica: se você possui um carro de R$ 500 mil na garagem com certeza consegue pagar o imposto sobre ele, não é mesmo? Faz sentido.

carros-que-pagam-os-mais-altos-ipva-do-brasil

Os carros atuais com IPVA mais alto no Brasil tendo como base as taxas de São Paulo:

  • Ferrari FF – o imposto pode ficar em média R$ 100 mil;
  • Lamborghin Aventador – o imposto pode ficar em média R$ 76 mil;
  • Ferrari GTB 599 – imposto em valor médio de R$ 70 mil;
  • Rolls Royce Ghost – IPVA com valor de R$ 55 mil;
  • Porsche 911 GT2 – um pouco mais barato, está em torno de R$ 54 mil;
  • Ferrari California – os paulistas pagam em média R$ 47 mil;
  • Aston Martin Virage – imposto com taxa média de R$ 38 mil;
  • Aston Martin DBS Coupé – valor anual a ser pago de R$ 35 mil na média;
  • Bentley Continental GT – taxa de R$ 28 mil com variáveis;
  • Audi R8 V10 – IPVA pode custar R$ 25 mil.

Quem não precisa pagar IPVA?

Existem sortudos sim que se classificam em categorias que não necessitam pagar o IPVA. São alguns deles donos de veículos com mais de 20 anos de fabricação e donos de veículos adaptados para portadores de deficiência. Alguns Estados possuem regras próprias e vale consultar o site da Secretaria da Fazenda de sua região.

 

Como Solicitar Transferência de Curso no FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil, mais conhecido pela sua sigla FIES, possibilita aos estudantes pagar a faculdade ou universidade apenas depois de formado. Outros diferenciais no programa também podem ajudar aos alunos como a transferência de curso, o que poucos sabem como fazer. Saiba mais!

como-solicitar-transferencia-de-curso-no-fies

Fazer a transferência do Curso no FIES

Após ser aprovado em seu cadastro e já com o FIES 2017 em andamento, o aluno possui o direito de mudar de curso sem perder o financiamento. O primeiro passo é obedecer ao prazo: é sempre entre os semestres universitários. A mudança de curso deve ser solicitada nos meses de junho e dezembro, nunca durante o semestre.

como-solicitar-transferencia-de-curso-no-fies-3

Algumas regras também são exigidas. O principal é estudar regularmente ao menos 18 meses no curso que se matriculou originalmente. A instituição para a qual deseja migrar também necessita ter conceito positivo no MEC e fazer parte do FIES e do FGEDUC (Fundo Garantidor de Operações de Crédito Educativo).

Passo a passo para Solicitar Transferência de Curso no FIES

O estudante deve primeiro acessar o site do FIES e fazer seu login com e-mail e senha cadastrados. Clique na opção de “Aditamento” e sem seguida em “Transferência Integral”. Agora é só preencher os dados da instituição que deseja estudar e o curso pretendido de acordo com as regras do fies. Caso seja o mesmo curso deve preencher também.

Preencha corretamente a data de desligado: a que deseja finalizar com a universidade ou faculdade atual e a data que deve começar na outra instituição de ensino. Grave os dados no sistema e imprima o comprovante gerado na sua tela optando pela opção PDF.

como-solicitar-transferencia-de-curso-no-fies-4

Agora é só ir até a agência bancária que assinou o contrato da primeira vez com seus documentos pessoais. Leve também o comprovante de transferência e solicite ao atendente do banco a transferência em seu contrato. Novos documentos devem ser assinados.

A partir dai é só aguardar o período de matrícula da nova instituição de ensino e levar seus documentos como fez da primeira vez ao se matricular. Não é cobrada qualquer taxa para isso mas o formulário deve ser preenchido corretamente. Em caso de erros a transferência de curso não será validada e é preciso esperar o próximo semestre para fazer a solicitação.

Vale a pena concorrer ao FIES?

A parceria entre MEC e Governo Federal tem uma boa proposta: ajudar estudantes a conseguir seu diploma pagando posteriormente por seus estudos. A princípio pode ser uma excelente ideia, mas é preciso avaliar com calma e muito cuidado.

Um dos principais pontos a levar em consideração é que o FIES apenas financia a mensalidade e matrícula do curso de instituição particular. Os custos de deslocamento, livros e outros materiais usados durante os estudos não. E infelizmente eles devem ser somados no orçamento do aluno para saber se terá condições reais de concluir o curso.

como-solicitar-transferencia-de-curso-no-fies-2

Finalizar os estudos de nível superior com uma dívida alta também pode não ser a melhor forma de iniciar uma vida profissional. Organização financeira pode ajudar neste ponto mas não é tudo. É preciso avaliar as reais condições de pagar a mensalidade ou o cenário não será dos mais agradáveis. Avaliar as possibilidades de pagamento antes de aceitar o contrato é importante.

10 Passos para não cair na malha fina do IR 2016

O Imposto de Renda(IR) é uma das maiores formas de arrecadação do Governo Federal para ações sociais e obras. Anual, o formulário deve ser preenchido por pessoas físicas e jurídicas todos os anos. Ao contribuinte é preciso tratar a ação com um enorme cuidado para evitar cair na malha fina.77

10 Passos para não cair na malha fina do IR 2016

A conhecida como ‘malha fina’ da Receita Federal é uma avaliação mais criteriosa da declaração do IR. O processo é eletrônico e o envio é rápido. Seu formulário chega ao computador da receita e o cruzamento de dados acontece.

37

Quando há divergência entre o que você declarou e outro empresa sobre o mesmo gasto, cairá na malha fina. O que fazer para isso não acontecer? Apenas seguir 10 passos simples ajudam, como:

1 – Observe a precisão dos valores

Não arredonde nenhum dado. Todos os valores devem ser conforme os gastos, com seus devidos centavos. Imagine você declarando R$ 310 de plano de saúde mensal e o plano recebendo seus gastos de R$ 308,90. Haverá incompatibilidade de dados.

2 – Declare apenas despesas que podem ser comprovadas

Em outras palavras: se não há nota fiscal não tem comprovação, então não vale como gastos no ano anterior.

3 – Escreva corretamente o nome das empresas

Não é uma pessoa lendo do outro lado formulário por formulário mas um computador. Ele procura pelo nome jurídico, CNPJ e nome fantasia. Preencher tais dados de forma incorreta deixa o formulário do IR inconsistente e cai na malha fina.

4 – Informe todas as fontes de rendimento

Se há uma fonte pagadora, mesmo com valor pequeno, deve estar no IR. Também entram notas de serviços avulsas, pró-labore, salários e aluguéis de imóveis de todos os tipos. Para melhor ajuda sobre isso, consulte a tabela com alíquotas.

5 – Informe os rendimentos dos dependentes

E não apenas os gastos. É um dos erros mais comuns mas eles entram na conta também.

6 – Uma pessoa deve ser dependente apenas de um contribuinte

O dependente não pode estar em dois impostos de renda. Filhos de pais separados, por exemplo, devem ficar com um dos pais (normalmente o de mais gastos). O mesmo vale para qualquer tipo de dependente da renda do contribuinte.

7 – Despesas médicas apenas se tiverem recibos

Remédios controlados e gastos com médicos apenas se tiverem recibo de pagamento. A clínica ou laboratório também deve declarar o ganho de igual forma para o devido cruzamento de dados. Caso apenas quem pagou declare será considerado burlar o imposto.

8 – Gastos fora da lista de deduções não precisam ser declarados

Não são necessários cursos de idiomas, tratamentos estéticos e qualquer gastos médicos com pessoas que não são seus dependentes.

9 – Aplicações financeiras entram na lista

Os bancos também declaram IR e informam todos os seus contribuintes e investidores. Suas aplicações estão na lista da Receita pelo banco e precisam estar por sua própria declaração também.

10 – Todos os bens devem ser declarados.

Doados ou ganhos em premiações, qualquer tipo de bem deve ser declarado com o valor do documento. Não é preciso atualizar o valor se não estiver no documento de propriedade da casa, por exemplo.

O que acontece se cair na malha fina?

Não é preciso temer cair na malha fina também. Caso aconteça haverá uma suspensão da declaração de Imposto de Renda daquele ano e um pedido de comprovação de documentação indo a sede da Receita Federal de sua cidade e reenviando o formulário. Há um prazo para isso. A restituição atrasará um pouco naquele ano mas vai acontecer.

malha-fina